Sábado, 16 de fevereiro de 2019

Nota de esclarecimento

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) vem a público repudiar a divulgação de notícias falsas (fake news) sobre a situação do bairro Pinheiro, em Maceió (AL), que vem apresentando o surgimento de fissuras, trincas e rachaduras em imóveis e afundamentos em vias públicas. Essas notícias não contribuem para a solução do problema e geram mais preocupação na população que vive no bairro.

Embora a investigação para se descobrir as origens do fenômeno geológico ainda esteja em andamento, os dados coletados até o momento não indicam um cenário catastrófico como vem sendo alardeado pelas fake news. Mas indicam sim, a necessidade de evacuação da área vermelha, e em caso de chuvas fortes, os moradores das áreas laranja e amarela, deixem suas casas para locais seguros. Esse procedimento é comum e visa garantir a segurança da população que vive em áreas de risco, adotado Brasil e no exterior.

Desde que tomou conhecimento sobre o que está acontecendo no Pinheiro, a CPRM mantém uma equipe multidisciplinar composta por 53 pesquisadores, que estão trabalhando diuturnamente para encontrar a causa ou as causas desse fenômeno, que pela sua complexidade, exige estudos minuciosos no subsolo do bairro, que estão sendo realizados dentro do cronograma previsto.
A primeira etapa para coleta de dados foi concluída, com a batimetria da lagoa de Mandaú, aplicação de métodos geofísicos, como eletrorresistividade, nas ruas do bairro, sondagem geotécnica e a instalação de seis estações da Rede Sismográfica Brasileira para monitorar o bairro.

Nas próximas semanas os técnicos darão continuidade a realização de estudos geofísicos que chegarão a 1.500 metros de profundidade, levantamento cartográfico para se conhecer o relevo do bairro, nivelamento e locação de poços para o monitoramento do aquífero.

A análise dos dados coletados e de imagens de satélite que foram adquiridas pela CPRM, também em fase de interpretação, possibilitará a elaboração de relatório preliminar para orientar as autoridades e a população sobre a real situação do bairro Pinheiro.

Diante do exposto, o Serviço Geológico do Brasil, reafirma seu compromisso com os moradores do bairro Pinheiro: que é descobrir as origens desse fenômeno e não medirá esforços para apresentar a sociedade de maneira transparente os resultados dos estudos em andamento.

Orientamos ainda a população de Maceió para não compartilhar em suas redes sociais ou em aplicativos de mensagens, conteúdos sem fundamento científico, de fontes anônimas. Que procurem por informações oficiais nos órgãos envolvidos com o assunto, como Defesa Civil Estadual e Municipal.

Os moradores do bairro Pinheiro merecem respeito, solidariedade e apoio, princípios que norteiam nosso trabalho e fazem parte dos valores que queremos compartilhar.

Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400
  • Imprimir