Quarta-feira, 09 de outubro de 2019

CPRM participa da II Semana de Inovação Brasil-Suécia

As Semanas de Inovação Suécia-Brasil fazem parte de uma agenda anual organizada pelos governos brasileiro e sueco, com o objetivo de dialogar sobre mineração sustentável O diretor-presidente do Serviço do Brasil (CPRM), Esteves Colnago, acompanha o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia (MME), Alexandre Vidigal, durante visita a Estocolmo, na Suécia, onde participam de diversos eventos no âmbito do Grupo de Trabalho em Alta Tecnologia Industrial Inovadora (GT-ATI).

O objetivo é ampliar e aprofundar a parceria do Brasil com a Suécia na área de alta tecnologia e cooperação industrial, da qual o setor de mineração tem muito a se beneficiar e contribuir. Eles participaram da abertura do Seminário sobre Mineração Sustentável - 2ª Semana de Inovação do Brasil–Suécia. Na ocasião, Vidigal afirmou que a indústria mineral brasileira passa por uma mudança paradigmática. “A transparência é regra, aliada à previsibilidade e à segurança jurídica, almejadas pelo investidor, e à responsabilidade socioambiental, demandada pela sociedade”.

Na reunião do Comitê Executivo do GT-ATI, o secretário falou da importância da troca de experiências e conhecimento entre os países para tornar realidade, em nível global, o projeto comum de um setor mineral moderno. “Estou certo de que chegaremos a um acordo para consolidar e expandir o setor mineral, de forma a proporcionar crescimento para nossas economias, juntamente com benefícios sociais para nossas populações, preservando o meio ambiente para as gerações futuras”, disse Vidigal ao falar sobre a possibilidade de uma parceria de cooperação industrial inovadora de alta tecnologia.

Vidigal explicou que a SGM tem priorizado o apoio à pesquisa e ao desenvolvimento visando garantir inovações tecnológicas e não tecnológicas que possam ajudar a enfrentar o desafio de gerenciar questões ambientais, direitos sociais e direitos humanos em nível nacional.

“O setor mineral brasileiro passa por um ciclo de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e disseminação de tecnologias e processos, visando garantir um uso mais racional dos recursos e resíduos, bem como segurança operacional por meio do monitoramento e controle de barragens e riscos ambientais”.

Para o secretário, os desafios enfrentados nesse sentido impõem a necessidade de aumentar o uso da tecnologia para fazer frente aos desafios decorrentes das possíveis implicações sociais e ambientais que podem derivar das atividades minerais, permitindo, então, novas iniciativas e empreendimentos em mineração e transformação mineral.

“Acredito que esses desafios representam oportunidades reais para governos e empresas chegarem a um acordo sobre modalidades mais eficientes de mineração, para lidar com os requisitos sociais e ambientais impostos pela realidade atual”.

Vidigal destacou ainda as medidas já implementadas pelo governo brasileiro com vistas a introduzir maiores garantias de segurança às atividades do setor, para restabelecer a confiança no País e impulsionar o papel do Brasil na arena internacional de mineração.

“As reformas estruturantes em andamento no País permitirão criar um ciclo virtuoso para a economia, que trará a confiança necessária para fomentar investimentos estrangeiros, estimulando a competição, a produtividade e a eficácia. Todo o setor produtivo poderá beneficiar-se de um aumento da eficiência, com menos regulamentação e burocracia”, afirmou.

Vidigal falou ainda sobre o aumento da demanda pelo desenvolvimento de atividades econômicas alinhadas com os preceitos da sustentabilidade. Para ele, a política minerária atual requer uma visão de futuro, que seja calcada no compromisso do Estado, do mercado e da sociedade organizada, na construção conjunta de soluções de desenvolvimento sustentável a partir da mineração, para o benefício das populações.

“A atuação responsável e o desenvolvimento de novas tecnologias permitirão não apenas a longevidade dos empreendimentos mineiros no Brasil, mas, também, a melhoria da percepção da mineração perante a sociedade, de cujo aval não se pode prescindir”, finalizou Vidigal.

As Semanas de Inovação Suécia-Brasil faz parte de uma agenda anual organizada pelos governos brasileiro e sueco, com o objetivo de dialogar sobre mineração sustentável, bioeconomia, cidades sustentáveis, inovação em saúde e cooperação transversal em parques tecnológicos e incubadoras.

O evento proporciona plataforma para a parceria estratégica entre Brasil e Suécia, nas áreas de ciência, tecnologia e inovação (CTI). O objetivo é promover a cooperação de longo prazo com a Suécia em temas de inovação, com a realização de atividades conjuntas nas áreas de destaque.

Clique aqui e saiba mais. Com informações da Asscom MME.
  • Imprimir