Saiba Mais - Visualização Científica

Usando os conceitos da comunicação visual e as ferramentas do design gráfico, a visualização científica desenvolve produtos visuais tridimensionais a partir das informações científicas geradas pelo Serviço Geológico do Brasil - CPRM.

Dentro de um processo de mediação científica, produtos como modelagens conceituais interativas e animações são elaborados e colocados à disposição do público, seja interno ou externo, interessado na difusão do conhecimento geocientífico.

O termo “difusão” significa, no âmbito da ciência da informação, “todo e qualquer processo usado para a comunicação da informação científica e tecnológica”[1][2], ou seja, inclui todo um espectro de usuários desde o especialista até o público leigo. E, como esse espectro é muito amplo, a difusão necessita da decodificação e da recodificação dos discursos especializados, com a utilização de recursos como metáforas, ilustrações, infográficos etc.[3].

Nesse contexto, a CPRM criou o projeto “Visualização Científica Aplicada à Comunicação Visual”, cuja atuação visa a contribuir para a ampliação do acesso aos produtos da empresa, a partir da transformação da informação científica produzida internamente em novos formatos de saída. Busca-se, ainda, fortalecer o poder de comunicação dos pesquisadores e analistas da empresa.

Contando com o uso da comunicação visual e do design gráfico, os novos formatos de saída incluem modelagens conceituais interativas e animações, dentre outros produtos visuais elaborados em um processo de mediação da informação realizado pelos próprios pesquisadores, ou seja, busca-se manter a qualidade conceitual durante a transformação de conteúdo.

Essa mediação científica – aqui considerada processo de decodificação e recodificação executado por profissionais alfabetizados em ciência – é uma das chaves metodológicas para a elaboração dos produtos visuais a partir de toda a informação gerada na empresa. A mediação científica foi recentemente reconhecida pela CPRM como um campo de atividades dentro da área “Pesquisa e Inovação”, conforme carta de políticas públicas de 2018 da empresa.

Cada produto visual é desenvolvido para finalidades e públicos predeterminados, de forma que os conteúdos finais possuam diferentes níveis de complexidade. Contudo, uma vez publicados, ficam à disposição permanente de qualquer usuário interessado em difundir o conhecimento das geociências.

Este projeto, ainda nos primeiros passos de desenvolvimento, soma esforços com todas as atividades da CPRM que trabalham pelo fortalecimento do papel social da informação científica e pelo apoio à alfabetização científica do cidadão.


[1] BUENO, W.C. Jornalismo Científico no Brasil: compromissos de uma prática dependente. Tese de doutorado apresentada à Escola de Comunicações e Artes da USP. São Paulo, 1984.
[2] ALBAGLI, Sarita. Divulgação Científica: informação científica para cidadania. Ciência da Informação, v. 25, n. 3, 1996.
[3] DA COSTA BUENO, Wilson. Comunicação Científica e Divulgação Científica: aproximações e rupturas conceituais. Informação e Informação, v. 15, n. Esp., p. 01-1001, 2010.

  • Imprimir