Monitoramento do Rio Paraopeba

No dia 25 de janeiro de 2019, por volta das 12:30h, ocorreu o rompimento da barragem de rejeitos B1 da mina de minério de ferro Córrego do Feijão da Vale. Esta barragem está localizada na bacia do ribeirão Ferro Carvão, que é afluente do rio Paraopeba pela margem direita, que por sua vez é afluente do rio São Francisco e um dos formadores do reservatório de Três Marias.

O Serviço Geológico do Brasil – CPRM está realizando o monitoramento do rio Paraopeba em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA), Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA) e Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM).


Relatório 1

Relatório 2

Relatório 3

Notícias

  • CPRM e ANA divulgam novos dados do rio Paraopeba em boletim de monitoramento
  • Serviço Geológico divulga boletim de monitoramento que indica perda de intensidade da pluma (mistura de rejeitos e água) no rio Paraopeba
  • Serviço Geológico do Brasil divulga novo boletim de monitoramento do rio Paraopeba
  • Serviço Geológico do Brasil e Agência Nacional de Águas (ANA) divulgam boletim de monitoramento do rio Paraopeba (MG) de 31/01
  • Serviço Geológico do Brasil e Agência Nacional de Águas (ANA) divulgam quarto boletim de monitoramento do rio Paraopeba (MG)
  • Serviço Geológico do Brasil e Agência Nacional de Águas divulgam novo boletim de monitoramento do rio Paraopeba (MG)
  • Serviço Geológico do Brasil informa que mistura de rejeito e água não deve chegar ao reservatório da hidroelétrica de Três Marias
  • Serviço Geológico do Brasil divulga primeiro boletim diário de monitoramento do Rio Paraopeba
  • Serviço Geológico do Brasil levanta informações técnicas após rompimento da barragem na Mina Feijão, em Brumadinho (MG)