Sexta-feira, 14 de maio de 2021

Sismógrafos registram terremoto no Pará com magnitude de 4.3 na escala Richter

 Mapa mostra epicentro do terremoto registrado hoje (14) no Pará
O Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM), que integra a Rede Sismográfica Brasileira (RSBR), publicou nesta sexta-feira (14) uma nota técnica com informações sobre o terremoto ocorrido na tarde de hoje na região do município de Breves, no Pará, que fica a aproximadamente 220 km da capital Belém.

Segundo os dados, o terremoto teve magnitude de 4.3 mR e foi registrado pelos sismógrafos da RSBR às 15h42, horário de Brasília. A nota técnica é assinada pelos pesquisadores em geociências Marcos Vinicius Ferreira e Luiz Gustavo Rodrigues Pinto, que são da Divisão de Sensoriamento Remoto e Geofísica (DISEGE) do SGB/CPRM.

Além do Serviço Geológico do Brasil, a RSBR é composta por especialistas das universidades de São Paulo (USP), de Brasília (UnB) e do Rio Grande do Norte (UFRN), além do instituto de pesquisa Observatório Nacional (ON), com mais de 80 estações espalhadas pelo Brasil. Estas estações têm um registro contínuo dos dados produzidos por movimentos da crosta terrestre e, quando ocorrem eventos sísmicos, as informações são analisadas para a determinação da localização, magnitude e outros parâmetros dos fenômenos físicos.


 Efeito dos eventos sísmicos de acordo com sua magnitude Em relação à magnitude, os pesquisadores explicam que a numeração por meio da escala Richter representa a energia sísmica liberada por um terremoto. Os eventos sísmicos têm magnitude única e os efeitos variam de acordo com a distância do epicentro, das condições do terreno e das edificações, dentre outros fatores.

Orientações à população- Primeiramente, segundo os pesquisadores, deve-se manter a calma caso seja percebido que algo estranho esteja ocorrendo. Se o cidadão estiver em casa ou apartamento, a orientação é não sair do local enquanto o terremoto estiver ocorrendo, visto que a correria para sair dos ambientes pode causar mais danos do que outras medidas.

Deve-se também ficar longe de janelas e locais onde objetos possam cair. Se possível, tentar ficar embaixo de uma mesa resistente ou embaixo de batentes de portas. Caso esteja em local aberto, a orientação é se afastar de áreas com a possibilidade de quedas de objetos volumosos, como prédios, postes, placas e árvores.


Lucas Alcântara
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM)
Lucas.estevao@cprm.gov.br
  • Imprimir