Segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Governo Federal lança produto para estimular a pesquisa mineral no País

Carta de Anomalias da Folha SC.21-X-D-V
O Serviço Geológico do Brasil-CPRM,empresa pública ligada ao Ministério de Minas e Energia, através da Diretoria de Geologia e Recursos Minerais, lança uma nova classe de produtos, as Cartas de Anomalias, para incentivar a pesquisa mineral no país e cumprir sua missão institucional, de gerar e disseminar o conhecimento geocientífico com excelência.

As Cartas de Anomalias foram produzidas pela integração de imagens aerogeofísicas, obtidas por tratamentos computacionais específicos, adicionando-se informações geológicas, de recursos minerais conhecidos, e de dados de levantamentos geoquímicos disponíveis. Este produto pretende viabilizar a avaliação preliminar dos setores de maior probabilidade para prospecção da substância mineral de interesse, mais especificamente ouro e cobre, e fomentar novos investimentos pelo setor privado.

A primeira região contemplada nesta inciativa foi o norte do estado de Mato Grosso, na Província Polimetálica Juruena-Teles Pires, que apresenta comprovada vocação metalogenética para Au, relacionada principalmente à associação vulcano-plutônica constituída pela Suíte Teles-Pires e Grupo Colíder e sua interface com rochas do embasamento Cuiú-Cuiú, o que faz com que esta região figure como a 2ª maior produtora de Au no Brasil.

Recentes descobertas demostram ainda mais o elevado potencial desta associação para depósitos polimetálicos e de metais base, a exemplo do depósito de Cu-Au pórfiro recém descoberto (Depósito Jaca), além de ampliação das reservas auríferas do Filão do Paraíba. Destaca-se ainda o potencial da sequência metavulcanossedimentar do Grupo Roosevelt, que hospeda o depósito de classe mundial do tipo VMS de Pb-Zn (Ag-Cu-Au) de Aripuanã.

Localização das 82 folhas utilizadas para gerar as Cartas de Anomalias no norte de Mato Grosso Estes fatores fazem com que a Província Polimetálica Juruena-Teles Pires represente hoje uma das áreas que desperta maior interesse do setor mineral, devido ao seu elevado potencial para novas descobertas, e por esta razão foi selecionada como área piloto para elaboração das Cartas de Anomalias.

Para o desenvolvimento desse novo produto, foram selecionadas 82 folhas cartográficas, na escala 1:100.000, cobrindo uma área de 246.000km2, para as quais serão disponibilizadas Cartas de Anomalias em formato PDF. Para cada folha é também disponibilizado um robusto banco de dados, contendo imagens aerogeofísicas (magnetometria e gamaespectrometria) georreferenciadas e shapefiles com dados de geoquímica (sedimento de corrente e concentrado de bateia) e de recursos minerais, além das bases geológica, estrutural, geotectônica e cartográfica de toda a área enfocada.

As cartas de Anomalias apresentam no encarte principal, o tema geofísico de maior interesse em uma região. No caso da área trabalhada, foram enfocados Au e Cu relacionados a sistemas magmáticos-hidrotermais. Cabe ressaltar que as anomalias apresentadas neste produto não invalidam as potencialidades de outros sistemas minerais. Caberá ao usuário, a partir do banco de dados disponibilizado, escolher qual a associação de produtos que melhor se adequa aos seus interesses.

Foi aplicada a rotina de automação desenvolvida no software QGIS para a geração das Cartas de Anomalias, o que trouxe maior agilidade na produção, de modo que será possível disponibilizar de forma tempestiva produtos semelhantes para as principais províncias e distritos minerais do país.
Os produtos estão disponíveis para download Acesse:

Clique aqui para acessar as Cartas de Anomalias em PDF e Banco de Dados.



Clique aqui para acessar as Cartas de Anomalias em PDF.





Letícia Peixoto, com colaboração de Lúcia Travassos
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscom@cprm.gov.br
leticia.peixoto@cprm.gov.br
(61) 2108-8400
  • Imprimir