Os Muitos Usos do Diatomito

18 agosto 2014
Pércio de Moraes Branco

Algas diatomáceas Diatomito

O diatomito, também chamado de terra de diatomáceas, é uma rocha sedimentar biogênica que se forma pela deposição dos restos microscópicos das carapaças de algas diatomáceas em mares, lagoas e pântanos. Origina depósitos estratificados ou maciços.

Diatomáceas são algas unicelulares, microscópicas, plantônicas, cobertas por carapaça de sílica hidratada, ou seja, com a composição da opala. São principalmente marinhas, mas podem ocorrer também em lagoas de água doce. As diatomáceas mais encontradas no diatomito são dos seguintes gêneros: eunotia, frustulia, pinnularia, navicula, nitzschia, anomoeneis, melosira, epithemia, cymbella e fragilaria.


Propriedades

O diatomito é muito poroso, leve (flutua na água se não estiver saturado dela), absorvente e fino, além de pulverulento, quebradiço, insolúvel em ácidos (exceto o ácido hidrofluorídrico), mas solúvel em bases fortes. É insípido, inodoro, terroso e tem ponto de fusão alto: de 1400 °C a 1650 °C. Possui a propriedade de absorver quatro vezes seu peso em água. As partículas que o compõem têm alta dureza, mas, devido à alta porosidade, é uma rocha de dureza baixa. É quimicamente inerte em muitos líquidos e gases, tem baixa condutividade térmica.

Diatomitos de Amieira-Alfarim (Portugal) A cor é branca quando puro, mas pode ser creme, cinza ou marrom-esverdeada (raramente preto) dependendo da presença de impurezas, que podem ser mais ou menos abundantes. Essas impurezas são matéria orgânica, argila, areia, óxido de ferro, carbonato de cálcio e magnésio, cinza vulcânica, espícula de esponja ou menores quantidades de outros materiais. Quando as espículas de esponjas predominam, constitui um espongilito.


Ocorrências no Brasil

O diatomito é conhecido no Brasil desde quando nosso país era colônia de Portugal. Hoje sua presença é conhecida em todos os estados, mas as reservas mais importantes estão nos seguintes: Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Amazonas, Maranhão, Piauí, Pernambuco e Paraná.


Usos

As propriedades físicas e químicas do diatomito tornam essa substância muito útil em variados campos de aplicações, sendo, por isso, um bem mineral de largo emprego e elevado valor comercial. Ele começou a ser empregado dois mil anos atrás pelos gregos em cerâmica e hoje é componente de centenas de produtos e vital na fabricação de milhares de outros.

Como filtro – é seu principal uso. Sua estrutura semelhante a um favo de mel o torna um filtro natural. É, por isso, empregado como agente filtrante de águas de piscina; na clarificação e classificação de açúcares; na produção de sucos de fruta; bebidas (alcoólicas, como vinho e cerveja, ou não); ácidos; compostos de petróleo; vernizes; ceras; graxas; resinas; tintas; medicamentos; óleos vegetais, minerais e animais; xaropes; no processamento de óleos lubrificantes etc.

Como isolante térmico e acústico - em caldeiras, fornos, condutores, em forma de tijolo ou pó.

Em Farmácia - na produção de pomadas dermatológicas e cremes dentais e como excipiente para pílulas.

Como absorvente - em inseticidas e fungicidas, em pilhas elétricas, na dinamite, em líquidos catalisadores, explosivos e outros produtos, bem como na ocorrência de derramamentos de produtos tóxicos.

Como catalisador – a presença de diatomito acelera determinadas reações químicas.

Como abrasivo - em líquidos e pastas usados para limpar e polir metais, azulejos, vidros etc.

Como fonte de sílica – para fabricação de silicato de cálcio sintético, silicato de sódio, azul ultramar (pigmento), isolante acústico, lajes, cascos de navio etc.

Na Agricultura – o diatomito é excelente inseticida porque absorve a película protetora que envolve o corpo dos insetos: eles morrem por desidratação, sem o risco de desenvolverem resistência como no caso de produtos químicos. Também serve para aumentar a aeração de solos, reduzindo sua compactação e permitindo maior fluxo de água e ar, o que favorece o crescimento das raízes e a transferência de nutrientes.

Na pesquisa geológica para petróleo - as diatomáceas são importantes para a datação geocronológica, ou seja, para a determinação da idade de certas rochas, as quais, por sua vez, são importantes na busca por petróleo.

Na construção civil - tijolos de diatomito são usados na construção civil em razão de sua baixa densidade e foram empregados, por exemplo, na cúpula da Igreja de Santa Sofia (em Constantinopla, atual Istambul) e na Catedral de Fortaleza (CE).

Em tintas – adicionado a tintas, o diatomito aumenta a resistência, controla a permeabilidade, reforça a adesão, entre outros benefícios.

Em plásticos – adicionado a plásticos funciona como agente antibloqueante, auxiliando na separação de peças de plástico, como sacolas empilhadas, por exemplo.

Em outros produtos - usado na fabricação de papel, cimento, plástico, tinta, sabão, sabonete, borracha, fósforo; na indústria fotográfica; em material odontológico de preenchimento de cavidades; em adesivos; em selantes; entre outros.


Fontes

DIATOMÁCEAS. Wikipédia em Português < https://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A9dia:P%C3%A1gina_principal > Ficheiro:Diatoms_through_the_microscope.jpg. Acessado em 30.09.2009.

DIATOMITO. Wikipédia em Português. < http://pt.wikipedia.org/wiki/Diatomito#Utiliza.C3.A7.C3.A3o_do_diatomito >. Acessado em 29.09.2009.

GEOROTEIROS - < Projeto Georoteiros >

GLOSSÀRIO Geológico. < Verbete Diatomito >. Acessado em 29.09.2009.

INDUSTRIAL Minerals Association – Norte America. < https://www.ima-na.org/ >. Acessado em 29.09.2009.

UNITED States Geological Service. < https://minerals.usgs.gov/minerals/pubs/. > Acessado em 29.09.2009.

Fotos

Wikipedia e Georoteiros, respectivamente.

  • Imprimir

© Copyright CPRM 2016-2019. Todos os direitos reservados.