Sexta-feira, 24 de julho de 2020

Webinário internacional discute rumos da mineração nas Américas depois da pandemia

Aconteceu nesta quarta-feira (22) o webinário internacional A Mineração nas Américas e a Recuperação Econômica depois da Covid-19, organizado de forma conjunta pela Conferência de Ministérios de Mineração das Américas (CAMMA, na sigla em espanhol) e o Fórum Intergovernamental sobre Mineração, Minerais, Metais e Desenvolvimento Sustentável (IGF, na sigla em inglês). O objetivo do evento foi discutir as ações tomadas pelos governos em resposta à pandemia da Covid-19 e seus impactos nas atividades de mineração, considerando o papel futuro do setor de mineração das Américas na era pós-pandêmica.

A Secretaria de Gestão Mineral (SGM) do Ministério de Minas e Energia (MME), como integrante da Associação de Serviços de Geologia e Mineração Iberoamericanos (ASGMI, na sigla em espanhol), acompanhou o evento. No Serviço Geológico do Brasil (CPRM), as atividades referentes à política internacional são executadas por meio da Assessoria de Assuntos Internacionais (ASSUNI), no que diz respeito à cooperação técnica e à prestação de serviço.


Os palestrantes virtuais incluíram o diretor do IGF, Greg Radford, o secretário parlamentar do Ministro de Recursos Naturais do Canadá, Paul Lefebvre, e o vice-ministro de Mineração do Equador, Fernando L. Benalcázar. A mediação ficou a cargo de Roberto Sarudiansky, coordenador da CAMMA.

Greg Radford deu início ao webinário apresentando as respostas do IGF à pandemia. De acordo com o diretor, a instituição tem agido segundo diretrizes concernentes a empregos e políticas de taxação. Desde o início da pandemia, o fórum publicou um artigo e promoveu três webinários sobre a questão trabalhista, incluindo eventos e discussões sobre garimpos e mineração em pequena escala. Um blog e outros três eventos virtuais estão em desenvolvimento e serão finalizados em breve.

Segundo o diretor, cerca de 305 milhões de trabalhadores em período integral em todos os setores econômicos correm o risco de perder o emprego no segundo trimestre de 2020 devido à pandemia de Covid-19. No setor de mineração, as minas globais estão fechando temporariamente para proteger a saúde e a segurança dos trabalhadores. Os funcionários estão sendo demitidos e as cadeias de suprimentos estão diminuindo ou interrompendo completamente a produção.

“O IGF destaca três maneiras pelas quais governos e indústrias podem agir agora para promover um mercado de trabalho resiliente e proteger os meios de subsistência das comunidades”, afirmou Radford. As posturas incluem alívio (partir de medidas gerais para apoio direcionado), recuperação (retomar os negócios habituais, mas não da mesma maneira como costumavam ser tocados) e resiliência (preparar-se para eventos futuros de adversidade).

No que tange às políticas de taxação, o diretor do IGF relatou que duas publicações e dois webinários foram feitos e um programa está para ser lançado. The Future of Resource Taxation (O Futuro dos Recursos Taxativos, em tradução livre) vai fornecer recomendações oportunas para a próxima geração de políticas fiscais minerais, a fim de permitir o compartilhamento equitativo dos benefícios da mineração e a confiança entre a indústria, os governos e a sociedade civil.

Paul Lefebvre deu continuidade à discussão apresentando as medidas tomadas pelo Canadá no setor mineral em resposta à pandemia de Covid-19, focando na liderança mundial que o país tem na mineração. O Canadá estabeleceu um plano econômico com diretrizes e em apoio a indivíduos, setores e empresas, com destaque para a proteção de empregos, incluindo o de comunidades indígenas.

De acordo com Lefebvre, o Canadá está focado em fazer acordos com países do continente americano para retomar a mineração na região, reconhecendo a importância da América Latina. “Estamos prontos para cooperar com outros países, porque acreditamos que a retomada é uma prioridade em comum”, afirmou. Ele apresentou alguns minerais de produção crítica no Canadá, ressaltando que o conceito varia de país para país, a depender do contexto e das disposições locais. Ainda segundo o secretário, o ranking mineral de produção global canadense é composto por: potássio; urânio e nióbio; metais do grupo da platina, níquel e cobalto; e alumínio.

Por fim, Lefebvre disse enxergar a pandemia de Covid-19 como catalisadora dos processos de automação na indústria mineral. “As pessoas temem que a automatização tire seus empregos, mas no Canadá vemos como uma grande oportunidade porque, na realidade, vai gerar novos empregos. Vamos precisar de pessoas para guiar veículos, criar tecnologias e disseminá-las em locais remotos, por exemplo. Então teremos novos jeitos de fazer mineração, apoiados pelas novas tecnologias.”

Fernando L. Benalcázar seguiu o evento, destacando as experiências que o Equador adquiriu de outros países durante a pandemia de Covid-19. “A importância deste webinário está no compartilhamento de ideias sobre a mineração entre os países e instituições”, afirmou. Ele expôs um panorama geral do cenário pandêmico equatoriano e mundial e disse que a experiência do país durante o período envolve trocas com outras nações, como Chile,
República Dominicana, Peru, Argentina e Brasil.

Benalcázar apresentou dados do impacto da pandemia de Covid-19 no setor mineral do Equador, advindas da consequente situação econômica e das medidas sanitárias de distanciamento social. Para ele, as soluções no país vão envolver três etapas: evitar, ter cautela e fomentar, a partir, por exemplo, de produtos como o protocolo de prevenção em biossegurança para a mineração lançado pelo Equador.

De acordo com o vice-ministro, após a pandemia de Covid-19, a mineração será essencial para a retomada econômica dos países. “Será uma luz, já que cada bebê nascido nas Américas ainda vai precisar de 150 toneladas de minerais, metais e combustíveis ao longo da vida”, argumentou. Os dados fazem parte do gráfico Bebê Mineral, feito em 2019 pela Sociedade de Mineração, Metalurgia e Exploração (SME, na sigla em inglês).


Acesse as diretrizes do IGF em tempos de pandemia de Covid-19


Ana Isabel Mansur
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil — CPRM
ana.dias@cprm.gov.br
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400

  • Imprimir