Sexta-feira, 13 de abril de 2018

Tremor em Santa Catarina é registrado pela Rede Sismográfica Brasileira

 Epicentro do abalo Na manhã desta sexta- feira (13), às 9h28 (horário de Brasília) um tremor de terra na margem continental de Santa Catarina, próximo a Florianópolis foi detectado pela Rede Sismográfica Brasileira. A magnitude, considerada baixa, foi de 3,6 e ainda assim, os moradores de algumas cidades catarinenses relataram sentir o abalo sísmico.

15 estações da Rede Sismográfica Brasileira registraram o abalo sísmico. “O tremor de maior magnitude em Santa Catarina ocorreu em 1939, de magnitude 5,5, e ainda assim é considerado baixo para os padrões mundiais” afirmou Marcos Ferreira, coordenador do Laboratório de Sismologia do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Segundo ele, é raro ocorrer tremores de alta magnitude no país e não há motivos para se preocupar com o de hoje.

Em Florianópolis, a Polícia Civil recebeu diversos chamados e em Blumenau um prédio chegou a ser esvaziado após o tremor. De acordo com a Defesa Civil, não houve feridos e nenhum dano foi registrado. As principais cidades nas quais a polícia foi acionada foram: Florianópolis, Blumenau, Santo Amaro da Imperatriz, Tijucas, São João Batista e outras cidades do litoral catarinense e do Vale do Itajaí.

O epicentro do tremor foi a cerca de 65km da costa de Santa Catarina. De acordo com o centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), praticamente toda a costa brasileira está suscetível à ocorrência de tremores. Nessa região, chamada de talude, ou margem continental, as águas são mais rasas, e isso faz com que as camadas rochosas tendam a se “espalhar”. Esse fato, juntamente com a compressão que o continente sofre das placas de Nazca e África, podem explicar os registros de abalos ao longo da costa.

 Marco Ferreira analisando o tremor Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400

© Copyright CPRM 2016. Todos os direitos reservados.