Terça-feira, 16 de junho de 2020

Serviço Geológico do Brasil promove live sobre a geologia de Aripuanã (MT)

Apresentação será feita por pesquisador da CPRM abordando a geologia do noroeste do Mato Grosso, e serão lançados os diversos produtos resultantes do projeto. A transmissão será exibida nos canais da CPRM no Facebook e YouTube

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) promove nesta quarta-feira, dia 17 de junho, às 15h mais uma live para apresentar as ações da empresa na área de geologia básica e avaliação de recursos minerais. A palestra “Projeto Evolução Crustal e Metalogenia da Região de Aripuanã” tem o objetivo de apresentar os avanços do conhecimento geológico e do potencial mineral desta região localizada no noroeste do estado de Mato Grosso. Na ocasião serão lançados os produtos oriundos do Projeto Aripuanã, que incluem um conjunto de mapas geológicos, bases de dados, e um relatório final que sintetiza todos os dados e informações.

Os produtos entregues à sociedade têm entre seus objetivos principais fornecer subsídios ao setor mineral produtivo para implementação de empreendimentos na região de Aripuanã, área com grande potencial para novas descobertas minerais, especialmente em função da ocorrência do Grupo Roosevelt, que abriga conhecido depósito polimetálico do tipo VMS.

A transmissão será aberta para todos os interessados nas geociências, a sociedade geocientífica, empresas do setor mineral, universidades e escolas técnicas, bem como a comunidade civil pertinente aos municípios e estado que envolve a área.

O diretor de Geologia e Recursos Minerais da CPRM, Marcio Remédio, considera que o estado do Mato Grosso possui grande potencial para investimentos em mineração. “Com mais este lançamento, desejamos fomentar novos investimentos e descobertas na região do Aripuanã e fornecer suporte para a elaboração de políticas públicas que favorecem o desenvolvimento sustentável do Brasil e garantem o bem-estar da população. Todas estas informações são um apanhado inédito que alavancará o conhecimento e desenvolvimento da região”, considerou Marcio Remédio.

Localização da área do projeto O Projeto Evolução Crustal e Metalogenia da Região de Aripuanã foi desenvolvido pelo Ministério de Minas e Energia e a Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, por meio da CPRM, e pertence ao empreendimento Áreas de Relevante Interesse Mineral - ARIM. Especificamente foi executado pela Gerência de Geologia e Recursos Minerais da Superintendência Regional de Goiânia.

Entre os produtos do projeto destaca-se o Informe de Recursos Minerais, o Mapa Geológico Integrado da região de Aripuanã (escala 1:500.000), que abrange uma área de cerca de 99.000 km2, bem como 3 mapas geológicos das folhas cartográficas SC.21-Y-A-I-2, SC.21-Y-A-II-1 e SC.21-Y-AI-I-2, fruto do mapeamento na escala 1:50.000 nas proximidades do depósito polimetálico de Aripuanã. Estes mapas estão subsidiados por conjuntos bases de dados também disponibilizados ao público.

O recém-descoberto Depósito Polimetálico (Cu-Pb-Zn) da Serra do Expedito, em Aripuanã, é considerado de classe mundial, do tipo VMS (Volcanogenic Massive Sulfides), e entrará em produção em 2021. A mineralização está associada às rochas metavulcanossedimentares do Grupo Roosevelt, unidade geológica enfocada no projeto através de estudos geocronológicos, litoquímicos e petrográficos, que permitiram a cartografia de detalhe e entendimento da estratigrafia do principal metalotecto da área, abrindo novas perspectivas minerais para a região.

Apesar da deformação imposta, o Grupo Roosevelt preserva  boa parte das  estruturas primárias o que permite realizar uma reconstituição paleoambiental Neste projeto também foram descritas várias tipologias de mineralizações de ouro, diamante, ametista, ferro, manganês e associação de Cu-Pb-Zn. Além disto, nas 3 folhas cartográficas mapeadas foram realizados os levantamentos geoquímicos de sedimento de corrente e concentrado de bateia, que podem subsidiar o setor mineral de informações essenciais.

Todos os produtos resultantes do projeto Aripuanã já estão disponibilizados no banco de dados corporativo da CPRM, o GeoSGB, e no Repositório Institucional de Geociências — RIGEO.


PRODUTOS GERADOS
> Mapa Geológico Integrado, na escala 1:500.000, cobrindo a área total do projeto, de 99 mil km2 (publicação 2020).

> Mapas geológicos de 3 folhas cartográficas na escala de detalhe 1:50.000, que englobam uma área de 2.250 km2 (publicação final de 2019). Download aqui, aqui e aqui.

> Bases de dados relacionados aos mapas publicados, constituindo os Sistemas de Informação Geográfica (publicação final de 2019 e 2020). Download nos 4 links acima;

> Banco de dados de afloramentos e de recursos minerais (publicação 2020).

> Relatório final do projeto que consolida todas as informações geradas, incluindo os mapas oriundos dos levantamentos geoquímicos (Figura 2).




Letícia Peixoto
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
leticia.peixoto@cprm.gov.br
(61) 2108-8400

  • Imprimir