Sábado, 02 de fevereiro de 2019

Serviço Geológico divulga boletim de monitoramento que indica perda de intensidade da pluma (mistura de rejeitos e água) no rio Paraopeba

 Pesquisadores em geociências da CPRM realizam monitoramento do rio Paraopeba O Serviço Geológico do Brasil divulgou neste sábado, dia 02/02, sétimo boletim de monitoramento compartilhado do rio Paraopeba. O informe apresenta dados sobre a movimentação das duas plumas (mistura de rejeitos e água) que se movimentam no rio após a ruptura da Barragem do Complexo do Feijão em Brumadinho (MG). Em ambas as plumas, a diminuição nos valores de turbidez foi verificada, evidenciando perda de intensidade.
De acordo com a previsão, a primeira pluma atingiu valores de turbidez medidos dentro da normalidade para o rio Paraopeba. Da mesma forma a pluma 2, que também está sendo monitorada. Ela chegou na porção do rio entre a Ponte da BR 381 e a Ponte da BR 262 e a expectativa é que esta continue se comportando da mesma forma que pluma 1, diminuindo a concentração ao longo do percurso e que as partículas em suspensão sedimentem no leito do rio.
O boletim traz ainda dados sobre o monitoramento da qualidade da água. Além da equipe do Serviço Geológico do Brasil, também atuam em parceria neste trabalho de monitoramento: a ANA, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA).
Clique aqui para acessar o boletim completo.


Janis Morais
Warley Pereira
Foto: Pedro Henrique Santos
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscom@cprm.gov.br
(61) 98659-7240 - Warley Pereira
(61) 2108-8400 - ASSCOM
  • Imprimir