Sexta-feira, 30 de outubro de 2020

SGB-CPRM e Febrageo debatem Água Subterrânea no Vale do Gurguéia

Tema foi debatido durante a websérie Geodebates transmitida ao vivo pelo YouTube

Poço violeta, controlado por válvula, localizado no Vale do Gurguéia/PI O geólogo Fernando Feitosa, do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), participou no último dia 28 de outubro da websérie Geodebates, que foi promovida pela Federação Brasileira de Geólogos (Febrageo). Com transmissão ao vivo pelo Youtube, o evento teve como tema as águas subterrâneas no Vale do Gurguéia, localizado no estado do Piauí.

A palestra foi apresentada em quatro blocos e iniciou mostrando a localização do Vale do Gurguéia, caracterizando a região quanto aos aspectos geológicos e hidrogeológicos. Em seguida, Feitosa fez um detalhado histórico de todos os estudos hidrogeológicos realizados, desde os primórdios, entre os anos 1972 e 1973, quando foi perfurado o midiático poço Violeta e seu piezômetro, passando pela implantação do primeiro perímetro de irrigação do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), entre 1976 e 1978, e a tentativa de expansão desta irrigação para o restante do vale, entre 1986 e 1989.

O SGB-CPRM participou desde o início, como instituição contratada pelo DNOCS, realizando a construção de todos os poços de pesquisa e a produção nestas duas fases. Durante a palestra, o geólogo mostrou os resultados do projeto Cadastro de Poços do Piauí, em 2003 e 2004, que abrangeu esta região e mapeou, entre outros, todos os poços jorrantes existentes. Feitosa falou também sobre o projeto Zonas Estratégicas de Explotação de Água Subterrânea, que apresenta os possíveis cenários futuros para explotação deste recurso, ambos realizados pelo SGB-CPRM, sendo o último em parceria com o Laboratório de Hidrogeologia da Universidade Federal de Pernambuco (LABHID-UFPE).

Fernando Feitosa, geólogo do SGB durante apresentação Feitosa seguiu apresentando o estado da arte do conhecimento da gidrogeologia, fruto dos estudos realizados, e mostrou um panorama da situação dos 41 poços e 16 piezômetros construídos nas décadas de 1970 e 1980. A demonstração levou em consideração visitas técnicas realizados pelo SGB-CPRM em dois momentos, em 2009 e 2019. As visitas tiveram o objetivo de diagnosticar a situação destes poços, como parte dos estudos em parceria com o LABHID, em 2009, e para atender uma solicitação do Ministério Público do estado Piauí, em 2019, ambas promovidas pela Diretoria de Hidrologia e Gestão Territorial (DHT).

No bloco final, o geólogo apontou alternativas quantitativas para captação de água subterrânea, ressalvando a necessidade de atualizar as modelagens que resultaram na indicação destes cenários, em face do impacto causado pela retirada de água dos aquíferos nos últimos 34 anos. Feitosa comentou sobre a possibilidade do uso da água para solucionar definitivamente a questão do abastecimento de 51 municípios distribuídos no cristalino semiárido piauiense por meio da construção de uma adutora, cujo estudo de viabilidade está sendo providenciado pela FUNASA-SEDEC-PI.
“A água subterrânea do Gurguéia representa um potencial adormecido, aguardando ser despertado para fluir ao encontro das necessidades da sofrida população do Piauí”, destacou o geólogo.


Clique aqui para assistir novamente Letícia Peixoto
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
leticia.peixoto@cprm.gov.br
(61) 2108-8400
  • Imprimir