Quarta-feira, 11 de agosto de 2021

Rio Madeira começa a sofrer restrições de navegação em Rondônia

Nível da Cota do Rio Madeira segue descendo (Foto: Arquivo SGB/CPRM)
Nessa última segunda-feira (09), o Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM) divulgou o novo Boletim de Monitoramento Hidrológico da Bacia do Rio Madeira. Segundo ele, já se pode indicar estado de atenção para cotas mínimas em alguns pontos da bacia. Só para ilustrar, o nível do Rio Madeira decaiu para abaixo dos 4 metros nesta semana. Dessa maneira, restrições à navegação já começaram a ser feitas pela Capitania Fluvial de Porto Velho da Marinha do Brasil

Em Porto Velho, o rio Madeira se encontra na cota de 3,66 metros nesta quarta-feira (11) tendo uma variação de 12 centímetros desde segunda-feira (09). Segundo a projeção futura, a cota deve ainda diminuir para 2,58 metros em outubro de 2021.

Devido a isso, desde terça-feira (10), a capitania dos portos, visando a segurança, proibiu a navegação pelo Rio Madeira no período da noite. Essa foi a primeira medida restritiva tomada, Contudo, se o prognóstico de baixa seguir de forma esperada, novas restrições podem ser aplicadas ao longo da bacia do Rio Madeira. Cabe destacar, que o Serviço Geológico do Brasil vem afirmando em seus boletins semanais que devido às projeções certamente restrições à navegação seriam tomadas ao longo da primeira quinzena deste mês.

A situação pode ainda se agravar mais se viermos a ter um atraso no início da estação chuvosa para alem de outubro. Caso isso ocorra, a condição de seca da Bacia do Rio Madeira poderá se aproximar dos anos mais secos de sua medição. Esse cenário mais crítico vai depender das chuvas que ocorrerem no local durante o período.

Mapa indicando as estações de monitoramento da Bacia (Foto: reprodução)
O boletim indicou também que a tendência geral foi de leve redução dos níveis dos rios nas estações monitoradas, assim como já era esperado. Além disso, a maior parte das bacias monitoradas apresentou precipitação abaixo da climatologia ao longo da última semana.

As estações Ariquemes e Pedras Negras são as que apresentam a situação mais difícil, uma vez que, já estão em zona de atenção para mínimas. Só para ilustrar, em Pedras Negras nesta quarta-feira (11), a cota já está em 2,63 metros. Por sua vez, a única estação que não apresentou redução do nível foi a de Guajará-Mirim, que tem a sua cota em 6,72 metros.

Os dados hidrológicos utilizados neste boletim são provenientes da Rede Hidrometeorológica Nacional de responsabilidade da Agência Nacional de Águas (ANA), operada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e demais parceiros. As previsões apresentadas neste boletim são baseadas em modelos hidrológicos e estão sujeitas às incertezas inerentes a eles. O Boletim semanal foi publicado na última segunda-feira (09) e está disponível para todo o público acessar através do site do Serviço Geológico do Brasil nos trabalhos feitos pelo SACE.
Se interessou? Venha conferir (clique aqui)

Yuri Murta
Assessoria de Comunicação (ASSCOM)

Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM)

yurimurta@cprm.gov.br

asscom@cprm.gov.br
  • Imprimir