Segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Museu de Ciências da Terra leva exposição de dinossauros ao Bondinho Pão de Açúcar


“Dinossauros Sobreviventes” é o tema da exposição que o Museu de Ciências da Terra (MCTer) inaugurou hoje (19) no Espaço de Memória Cocuruto do Bondinho Pão de Açúcar e estará em cartaz até o dia 25/11. Buscando responder a questionamentos sobre a extinção dos dinossauros, a mostra traz indícios que revelam que algumas espécies de dinossauros sobreviveram à queda do asteroide na Terra, há 66 milhões de anos, e vivem até hoje.

Organizada por painéis informativos, a exposição leva ao público um acervo de fósseis e réplicas que ajuda a contar a história do planeta. Além disso, elementos como os ovos de dinossauros, seus ossos e pegadas mostram a semelhança entre as aves modernas e algumas espécies de dinossauro, explicando assim como esses animais sobreviveram à extinção em massa.
 Fósseis de ovos de dinossauros mostram a semelhança entre aves e dinossauros
Répteis voadores, como os pterossauros, também fazem parte da mostra. Os visitantes podem interagir com uma réplica do Anhanguera, pterossauro que viveu durante o período Cretáceo, há 110 milhões de anos. Já na praça dos dinossauros, estão expostos exemplares de aves feitas em argila por alunos do Instituto Benjamin Constant, escola que atende crianças e adolescentes cegos, surdocegos, com baixa visão e deficiência múltipla, localizada na Urca. O último painel é dedicado à rocha característica do Morro do Pão de Açúcar, o gnaisse facoidal. Muito utilizada na construção de monumentos históricos da cidade, essa rocha também está presente na fachada do Museu de Ciências da Terra que junto ao Serviço Geológico do Brasil (CPRM) é responsável pela curadoria da exposição “Dinossauros Sobreviventes”.
 Os visitantes poderão conhecer também o Baurutitan
O curador da exposição e paleontólogo do Museu de Ciências da Terra, Rodrigo Machado, destacou que a exposição trata de um tema bastante debatido no meio acadêmico, a relação entre as aves e os dinossauros. No entanto, o diferencial dessa mostra é o diálogo estabelecido entre arte e ciência. "Essa é a novidade. Nós produzimos narrativas científicas que se comunicam com esculturas produzidas artisticamente", ressaltou.

Estiveram presentes para a inauguração da exposição o diretor-presidente da CPRM, Esteves Colnago, o diretor de Administração e Finanças da CPRM, Juliano Oliveira, o CEO do Bondinho do Pão de Açúcar, Sandro Fernandes e a museóloga do Espaço de Memória Cocuruto, Sabrina Cruz. Na ocasião do descerramento da fita inaugural, os palestrantes abordaram a parceria entre o Serviço Geológico do Brasil e o Bondinho como uma oportunidade de levar os acervos históricos do Museu de Ciências da Terra, referência nacional em Ciências da Terra, à população.

 Descerramento da fita inaugural Essa atividade integra o calendário de comemorações pelos 50 anos do Serviço Geológico do Brasil, celebrado em 15 de agosto.

- Acesse aqui a galeria de fotos da inauguração da exposição.
- Para mais informações sobre bilhetes para o Bondinho, clique aqui!
- Acesse o evento no Facebook aqui!


Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
Lorena Amaro
lorena.costa@cprm.gov.br
(21) 2295-4641
  • Imprimir