Sexta-feira, 15 de maio de 2020

Mais de cinco mil pessoas acompanharam a live sobre a Província Mineral de Carajás

Transmissão mediada pela Assessoria de Comunicação foi feita pelo Facebook e YouTube
O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) promoveu, na tarde desta quinta-feira (14), a live “Evolução geotectônica e metalogenética da Província Mineral de Carajás”. A apresentação foi feita pelo chefe da Divisão de Geologia Econômica da CPRM, Felipe Tavares, e transmitida no perfil da empresa no Facebook e pelo canal do YouTube.

Durante cerca de 1h30min, o pesquisador tratou dos aspectos geológicos e metalogenéticos da Província Mineral de Carajás, localizada no sudeste do estado do Pará. A região abriga jazimentos gigantes de ferro, além de depósitos importantes de cobre, ouro, manganês, níquel, platinoides (EGP), terras raras (ETR), cromo, alumínio, estanho, urânio, tungstênio e zinco. “É um trabalho muito amplo, que já resultou em teses de pós-graduação, como a minha. Há muitos dados sendo produzidos nos últimos tempos. É um excelente momento para falarmos de Carajás”, argumentou o geólogo.

Segundo Tavares, a região é a segunda maior arrecadadora da Contribuição Financeira pela Exploração Mineral (CFEM) do país, atrás apenas do Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerais. “Mas, com certeza, é a maior província mineral do Brasil, ainda há potencial enorme para novas descobertas”, informou. De acordo com o geólogo, a porção nordeste da Província, a mais rica em depósitos minerais, também apresenta o conhecimento geológico mais denso.

O pesquisador estuda a Província MIneral de Carajás há pelo menos 12 anos A CPRM já publicou diversos produtos sobre Carajás nos últimos anos, inclusive um novo mapa de integração geológico-geofísica da província inteira. “Novos dados foram produzidos nos últimos anos e uma nova versão será lançada em breve”, informou o pesquisador.

Logo no início de sua exposição, Tavares esclareceu que há mais de uma nomenclatura e interpretação por trás de Carajás. “São muitos Carajás, que podem ter diferentes significados. Aqui, vou falar sobre a Província Mineral de Carajás.” Elencando algumas das demais interpretações sobre a região, o geólogo continuou. “O que se chama de Província Mineral de Carajás é a grande concentração de depósitos minerais metálicos — resultante da superposição de múltiplos processos de mineralização ao longo de mais de 1 bilhão de anos de atividades metalogenéticas encontrados na parte norte do bloco Carajás.”

Ainda de acordo com Tavares, o conhecimento apresentado na live é fruto de trabalho coletivo de 12 anos, já que a CPRM atua sistematicamente em Carajás desde 2008. Ele também afirmou que a CPRM estudou a região na década de 1980, quando os primeiros mapas da província foram publicados. “A CPRM é minha casa, gosto muito de trabalhar em uma empresa tão comprometida com a correta exploração dos recursos minerais do Brasil. Espero que a gente consiga, com estas informações, contribuir para a evolução do conhecimento geológico no país”.

Tanto na transmissão do Facebook quanto na do YouTube, a iniciativa da CPRM foi muito elogiada por quem assistia INTERAÇÃO COM SETOR MINERAL E DE PESQUISA — Mais de cinco mil pessoas acompanharam a live do Serviço Geológico do Brasil sobre a Província Mineral de Carajás (PMC) no Canal da CPRM no Youtube e na fanpage da CPRM no Facebook. Foram registradas centenas de comentários de participantes de diversos estados do país (RS, AM, PA, PI, RJ, PE, Distrito Federal, MG, SC, ES, AP). A live foi acompanhada também no exterior, com registros no chat vindos do Geoscience Montpellier na França, da University of Rochester, em NY, nos EUA e do Chile. Profissionais de empresas do setor mineral também assistiram a palestra com os resultados dos últimos 12 anos de estudos da CPRM na PMC. Entre elas, a OZ Minerals Exploração Brasil, Lara Exploration, AngloAmerican, Centaurus Metalse Codelco do Brasil. Instituições de ensino e pesquisa como a USP, UFS, UFOP, UFOPA, UFRJ, UNIBH, UNIPAMPA, IBGE, UFPE, UNICAMP, UFSC, UnB, UFPA, UFPR, UNIFESSPA, PUC – Rio, UFAM foram citadas entre os internautas que se apresentaram no chat ao longo da transmissão.

Os comentários mostram que a CPRM está no caminho certo ao ampliar a divulgação dos seus estudos nos seus canais institucionais na internet. “Muito conhecimento e uma didática incrível, Parabéns Felipe e equipe CPRM”, opinou Cris Sousa. Fael Santana também elogiou o trabalho: “Grande Exposição Felipe!! Abordagem completa!”. A mesma opinião de Viviane Oliveira: “Excelentes informações!!! Gráficos e detalhes sem comentários! Parabéns!. “Muito boa a palestra Felipe e CPRM, nós que trabalhamos na PMC agradecemos as contribuições de vocês para o conhecimento da região”, comentou William Cavaliere. Para Mauricio Ramos a transmissão foi excelente. “Espero que a CPRM utilize as lives para a divulgação mais frequente dos seus produtos. Parabéns!”. “A CPRM poderia sempre fazer essas lives sobre as suas atualizações. Ótima palestra! Parabéns à equipe”, elogiou Anderson Matias dos Santos. “Parabéns Felipe. Uma verdadeira aula sobre Carajás. Essa é a CPRM”, comentou Marcos Freitas.

CURRÍCULO DO PESQUISADOR — Felipe Mattos Tavares possui graduação, mestrado e doutorado em geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É especialista em geologia estrutural, com experiência em mapeamento geológicoestrutural sistemático e também no estudo de depósitos minerais tectonicamente controlados e de controles estruturais regionais de distritos e províncias minerais. Ingressou na CPRM em 2007, executando projetos de mapeamento geológico e de pesquisa mineral nas regiões Norte e Nordeste, destacadamente na Província Mineral de Carajás e atualmente é o chefe da Divisão de Geologia Econômica.

>Assista à transmissão completa no Facebook
>Assista à transmissão completa no YouTube
>Acesse a Folha Serra Pelada
>Acesse a Folha Rio Verde
>Acesse o Mapa preliminar do Carajás
>Acesse o mapa de prospectividade


Ana Isabel Mansur
Janis Morais
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil — CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400



  • Imprimir