Terça-feira, 17 de setembro de 2019

MCTer realiza atividade no Instituto Benjamin Constant sobre prevenção em áreas de risco geológico

 Alunos do IBC e equipe do Museu de Ciências da Terra e Serviço Geológico do Brasil (CPRM)
Buscando disseminar o conhecimento sobre áreas de risco geológico e as formas de prevenção a enchentes, deslizamentos de terra e inundações, o Museu de Ciências da Terra (MCTer) e o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) desenvolveram uma atividade voltada para alunos entre 17 e 22 anos do Instituto Benjamin Constant (IBC).

Os estudantes receberam a Cartilha "Comunidade Mais Segura – Mudando Hábitos e Reduzindo Riscos de Movimentos de Massa e Inundações", produzida pelo Departamento de Gestão Territorial (DEGET) e pelo Departamento de Relações Institucionais e Divulgação (DERID), adaptada em braille, e em versões com letras e formas maiores para os jovens com baixa visão. Além da entrega da cartilha, os alunos leram uma matéria sobre as fortes chuvas que caíram na cidade do Rio de Janeiro, no início de 2019, e a partir desses dois materiais desenvolveram perguntas sobre o tema.

De acordo com Rodrigo Machado, paleontólogo e responsável pelo Núcleo de Educação do MCTer, a atividade teve a intenção de levar materiais e situações reais para que os alunos participassem ativamente, assim como saber o que fazer em situação de risco envolvendo deslizamentos de terra, enchentes, entre outros. “Tínhamos a intenção de que eles propusessem as questões sobre prevenção e identificação dos riscos geológicos”, disse.

Durante a manhã, os alunos elaboraram perguntas sobre o tema e entrevistaram Thiago Dutra, Jorge Pimentel e Anselmo Pedrazzi, pesquisadores em Geociências do DEGET, onde foram esclarecidas as dúvidas sobre o que fazer quando as ruas alagam ou quando as sirenes de alerta soarem e quais locais são seguros e equipados para receber as pessoas que não possuem local para se abrigar.

 Thiago Dutra esclarecendo dúvidas de aluna do IBC
Vanessa Barbosa, estudante de 22 anos do IBC, afirma ter aprendido como saber identificar situações de risco, tanto em sua residência quanto em localidades próximas e que ação tomar quando perceber que algo está errado. “Quando estiver com enchentes, as ruas estiverem alagadas, preciso ficar em um lugar alto, que eu não tenha contato com essa água. Eu moro em uma área de risco e essa cartilha é muito interessante porque eu aprendi sobre como agir e posso compartilhar com a minha família. É importante ter esse conhecimento antes da situação acontecer”, finaliza Vanessa.

Segundo Machado, uma carta será escrita pelos estudantes para o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, com o intuito de questionar quais serão as soluções de engenharia a serem executadas para redução de riscos durante o período de chuvas do próximo verão.

 Estudante do IBC lendo cartilha Comunidade Mais Segura em braille
Sendo esta a primeira vez que a atividade foi realizada, os profissionais do MCTer e CPRM puderam compreender possíveis melhorias a serem trabalhadas no âmbito da atuação das Defesas Civis para a preservação da vida no caso da ocorrência de fenômenos geológicos. “Este evento está nos ensinando muito e estamos percebendo que existem diversos níveis de dependência, tanto física quanto motora e que devem estar nos procedimentos da Defesa Civil”, afirmou Pimentel.

-Acesse a galeria de fotos aqui!

Gabriella Arraes
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
gabriella.arraes@cprm.gov.br
(21) 2295-4641
  • Imprimir