Sexta-feira, 09 de agosto de 2019

CPRM está entre as estatais com melhor desempenho em governança e transparência

Novo modelo  de gestão  focado em governança e entrega de resultados garantiu  CPRM  a certificação de nível 1  do governo  O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) está entre as estatais que melhoraram significativamente o seu indicador de governança. A nota da instituição passou de 5,85 para 9,39, de acordo com a última avaliação do governo que analisou 61 estatais. A empresa também ganhou certificação nível 1 pelo empenho que teve em adotar mecanismos de governança, transparência e compliance.

O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (9/8), em Brasília, durante solenidade promovida pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest), vinculada à Secretaria de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, para divulgar a 4ª certificação do Indicador de Governança (IG-SEST), instrumento de acompanhamento contínuo da governança das empresas estatais federais de controle direto da União.

“Começar os 50 anos da instituição no nível 1 de governança é uma grande satisfação para todos nós. Esse reconhecimento é o resultado do esforço de um trabalho coletivo capitaneado pela Diretoria de Administração e Finanças, que tem mobilizado toda a instituição em busca de um novo modelo de gestão focado em resultados, governança e qualidade dos produtos e serviços”, avalia o diretor-presidente Esteves Colnago, que recebeu o certificado.

Novo modelo  de gestão  focado em governança e entrega de resultados garantiu  CPRM  a certificação de nível 1  do governo  Para o diretor-presidente, mais importante do que chegar ao nível 1 de governança, é a permanência no patamar. “Cabe a nossa persistência para que possamos manter esse padrão de governança e transparência na empresa.”
O secretário-executivo adjunto do Ministério da Economia, Miguel Ragone de Mattos, destacou que a governança corporativa nas estatais tem que ser ainda mais sofisticada do que em grandes empresas privadas, já que se tratam de empresas públicas e o acionista controlador é a sociedade.

“As empresas que atingiram o nível 1 como a CPRM mostraram maior capacidade de governança e isso é uma vitória nesse momento. Mas a luta tem que continuar para trazer maior governança para dentro da empresa e se traduzir em resultados para sociedade”, disse Fernando Antônio Ribeiro Soares, secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais.

O diretor de Administração e Finanças Juliano Oliveira destaca que a jornada se deu em parceria com a SEST, através do monitoramento da nova lei das estatais elaborou o IG – SEST que avalia o cumprimento da lei pelas estatais. “Para nós trouxe mudanças significativas que não tínhamos antes da criação dessa nova lei das estatais. Nós estruturamos um novo estatuto regimento da empresa, que sintetiza toda a importância da atuação da empresa, o mercado em que atua e principalmente a estrutura de governança”, explica.

Juliano também destaca que a construção de comitês de melhoria da gestão da empresa foi decisiva para que CPRM passasse a integrar o nível 1 de governança ao lado de Petrobras, Banco do Brasil, Caixa BNDES e Eletrobrás. “Hoje não se pode falar em gestão se não atribuir as questões de governança a esse processo, como transparência, conformidade, responsabilidade social. Tudo isso está presente dentro dos indicadores de governança”, afirma. E acrescenta que “o que nós queremos é apresentar para a sociedade um trabalho de qualidade e um trabalho de responsabilidade.”

Luzia Valente, coordenadora-executiva do Comitê de Governança, conta que o desafio foi grande, mas o Comitê de Governança contou com o apoio da diretoria executiva. “Se nós não tivermos o apoio da empresa, ficaria muito mais difícil a entrega e a prestação de contas para a sociedade. Nós enxergamos como uma conquista do esforço conjunto de todos os empregados envolvidos. Agora o desafio maior, como disse o diretor-presidente é conseguir manter esse padrão ao longo dos próximos ciclos. Temos essa responsabilidade.”

Indicador de Governança IG-SEST – É um instrumento de acompanhamento contínuo da governança das empresas estatais federais de controle direto da União. O indicador avalia práticas de gestão e transparência das empresas públicas de controle direto da União (dependentes e não dependentes).



Clique aqui e acesse a galeria de fotos

Clique aqui para assistir a entrevista dos representantes da CPRM durante a premiação.


Warley Pereira
Letícia Peixoto
Karen Fernandes
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil - CPRM
asscomdf@cprm.gov.br
(61) 2108-8400


  • Imprimir