Segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Biblioteca do Museu de Ciências da Terra passa por processo de higienização e catalogação

 A limpeza com pincel na mesa higienizadora é uma das etapas do processo de higienização do acervo Cerca de 100 mil itens do acervo bibliográfico do Museu de Ciências da Terra (MCTer) passarão por um processo de higienização, sendo que 2 mil destes itens serão ainda catalogados. A ação tem como objetivo promover a conservação preventiva dessa coleção, uma das mais importantes da América Latina. Desde o dia 15/10, o trabalho está sendo realizado pela empresa terceirizada Andef (Associação Niteroiense de Deficientes Físicos) e a expectativa é que seja finalizado em seis meses. A iniciativa é do MCTer, que está sob a gestão do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), em parceria com a Divisão de Documentação Técnica (DIDOTE) e com apoio do Departamento de Informações Institucionais (DEINF)..

 O processo de catalogação também está sendo realizado na biblioteca do MCTer Conforme explicou o curador das exposições do Museu, Diogenes de Almeida Campos, esta biblioteca tem uma grande relevância no que diz respeito às Geociências pois guarda tudo o que foi publicado sobre Geologia no Brasil. “O processo de higienização é fundamental para a conservação desse acervo e a expectativa é que isso seja feito regularmente daqui em diante”, enfatizou.

A biblioteca do MCTer faz parte da Rede Ametista, rede de bibliotecas da CPRM que é gerida pela DIDOTE. A chefe da Divisão, Roberta da Silva, destacou a importância desse processo: "Com a ação de higienização e catalogação, a Biblioteca do Museu de Ciências da Terra poderá disponibilizar seu valioso acervo contribuindo para o avanço da pesquisa geocientífica, além de conseguir oferecer um atendimento com mais qualidade para o público interno e externo", afirmou. Além disso, a analista em Geociências explicou que desde 2013 a DIDOTE vem atuando em diversas ações junto à Biblioteca do MCTer e a ação de higienização sempre foi a principal prioridade tendo em vista a importância de preservar as coleções históricas.

“É um acervo histórico, majestoso, e muito importante para as Ciências da Terra pois possui publicações dos séculos XIX, XX e XXI e que, graças à higienização, poderá ser melhor conservado”, foi o que afirmou a bibliotecária do MCTer, Amanda Paula da Silva. Segundo ela, para a formação desse grandioso acervo, o Museu contou com doações de coleções particulares, como Euzébio de Oliveira, Llewellyn Ivor Price e Friedrich Wilhelm Sommer, além de contar com conjuntos de periódicos importantes como a Science e Nature.

A higienização bibliográfica vendo sendo realizado por uma equipe formada por sete pessoas, sendo duas supervisoras e cinco higienizadores/conservadores. Este processo corresponde à retirada de poeira e outros resíduos por meio de técnicas apropriadas que incluem a aspiração do pó da obra como um todo, a higienização com pincel para varredura de cada página do documento, além da limpeza das estantes e armários onde os itens ficam armazenados.

 O uso de aspirador de pó é a primeira etapa de higienização dos volumes

Lorena Amaro
lorena.costa@cprm.gov.br
Assessoria de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil (CPRM)
(21) 2295-4641


  • Imprimir