Bacia Carbonífera de Santa Catarina

No âmbito da Ação Civil Pública n° 93.8000533-4, que tem como objetivo a recuperação ambiental das áreas degradadas pela mineração do carvão no sul de Santa Catarina, a CPRM foi designada pelo Ministério de Minas e Energia - MME para implementar obras e serviços de engenharia, iniciadas em 2013, para a recuperação dos passivos ambientais das extintas empresas: Carbonífera Treviso S/A (1.001,09 ha de áreas mineradas a céu aberto com uso de Dragline) e Companhia Brasileira Carbonífera Araranguá – CBCA: 129,54 ha de área minerada por lavra subterrânea.

A ação governamental é de longo prazo, em função da extensão das áreas degradadas. Os problemas ambientais estão relacionados principalmente à intensa modificação da topografia, tais como retirada da cobertura vegetal, pilhas de rejeito, erosão, lixiviação de material sulfetado e poluição (do solo, água e ar). A geração de drenagem ácida, que ocorre devido à oxidação de sulfetos, contamina as águas superficiais e subterrâneas. A geração de gases e a combustão espontânea, assim como as pequenas partículas de sulfetos e de carvão em suspensão, contaminam o ar.

As atividades minerárias causam interconectividade de águas superficiais com águas subterrâneas e captura de rios e córregos devido ao falhamento causado pela subsidência.

Contato e Informações

Marlon Hoelzel
E-mail: marlon.hoelzel@cprm.gov.br

© Copyright CPRM 2016-2019. Todos os direitos reservados.