Geoquímica Ambiental

A Geoquímica Ambiental é a área do conhecimento que caracteriza o meio ambiente através do estudo da variação do conteúdo dos elementos químicos na litosfera, biosfera e atmosfera. Em alguns casos, inclui-se a antroposfera como meio principal de investigação, ganhando os processos antropogênicos oriundos da ocupação humana de um território, suas principais atividades para o plantio de alimentos, sua industrialização, seus aglomerados urbanos e consequentes resíduos adicionados aos diversos meios, interagindo entre si e com os materiais naturais preexistentes.

A partir de 2008, o DEGET iniciou estudos sistemáticos em geologia ambiental através da execução do Projeto Levantamento Geoquímico de Baixa Densidade no Brasil. O projeto foi realizado segundo os critérios e padrões do Mapeamento Geoquímico Internacional, estabelecidos pelos Projetos IGCP 259 (International Geochemical Mapping) e IGCP 360 (Global Geochemical Baselines); patrocinados por UNESCO (United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization), IUGS (International Union of Geological Sciences), IAGC (International Association of Geochemistry and Cosmochemistry), AEG (Association of Exploration Geochemists) e IAEA (International Atomic Energy Agency) e consubstanciados em 1995.

No período de 2008 a 2015, foram concluídos os levantamentos geoquímicos nos estados: Roraima, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Atualmente, estão em execução nos estados: Pará, Santa Catarina, Amazonas, Bahia e Goiás. Foram coletadas no total 41.487 amostras de água fluvial e de abastecimento público, sedimentos ativos de corrente e solos, em área de aproximadamente 4.211.796 km², correspondendo a quase 40% do território brasileiro.

O projeto se baseia na amostragem de materiais de drenagem (sedimentos ativos de corrente e água), dos solos e da água utilizada para abastecimento humano e coletada antes do tratamento convencional nas estações de tratamento (ETAs). As amostras de materiais de drenagens representam bacias de captação com área entre 100 e 200 km², enquanto as amostras de solos representam uma área de 750 km² (uma amostra por folha 1:50.000).

Os produtos finais do projeto são atlas geoquímicos estaduais e de bacias hidrográficas, além da disponibilização dos dados analíticos na base geoquímica do GeoSGB.

Objetivos

Promover o conhecimento da distribuição dos elementos traço e compostos inorgânicos na superfície de todo o território brasileiro, fornecendo subsídios às outras ciências relacionadas ao setor mineral (prospecção e metalogenia), ao meio ambiente e ao desenvolvimento sustentável, tais como: saúde humana e animal, agricultura e planejamento do uso da terra.

Contato e Informações

Responsável técnico Geólogo Eduardo Víglio - DIGATE
E-mail: eduardo.viglio@cprm.gov.br

© Copyright CPRM 2016-2019. Todos os direitos reservados.