Excursão Virtual

O Presente glossário foi elaborado a partir das seguintes fontes:
www.unb.br/ig/glossario
www.geologo.com.br
www.agp.org.br/glossario.html

Dicionário Geológico-geomorfológico – Antônio Teixeira Guerra (1966)
Dicionário de Geociências – Jardel Borges Ferreira (1980)
Dicionário de Mineralogia – Pércio Moraes Branco (1982)


A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M|N|O|P|Q|R|S|T|U|V|X


A

AÇO: Liga de ferro e carbono que apresenta elevada dureza quando, depois de aquecida, é resfriada repentinamente.

ADOBE: Pequeno bloco semelhante ao tijolo, preparado com argila crua, secada ao sol, e que também é feito misturado com palha para se tornar mais resistente e usado em construções rústicas.

AFLORAMENTO: Exposição natural ou artificial de rocha que permite o seu estudo direto.

ANDESÍTICO(A): Termo que diz respeito a andesito, rocha vulcânica intermediária, de coloração cinza à cinza escuro, constituída essencialmente por feldspatos e por minerais escuros como piroxênios e anfibólios.

ANISOTRÓPICO(A): Diz respeito a condição de variabilidade de propriedades físicas (propagação da luz, propagação de ondas sísmicas, etc) de um corpo rochoso ou mineral segundo diferentes direções.

ANTICLINAL: Dobra com concavidade voltada para baixo em uma sequência de camadas com sucessão estratigráfica normal, onde as rochas em seu núcleo são estratigraficamente mais antigas.

ANTIFORME: Estrutura geomorfológica, independente das sucessões estratigráficas que se caracteriza pela dobra com concavidade voltada para baixo.

ANTRÓPICO: Relativo à ação do homem sobre a natureza.

AQUEDUTO: Sistema de canalização, ao ar livre ou subterrâneo, destinado a captar e conduzir a água de um lugar a outro.

AQUÍFERO: Sistema natural em rochas com alta porosidade e permeabilidade, que acumula água subterrânea permitindo a sua exploração em fontes naturais ou através de poços tubulares.

ARDÓSIA: Rocha metamórfica de granulometria fina e homogênea, formada por argila.

ARENOSO(A): Sedimento originado de rochas e/ou minerais que apresentam granulometria maior do que 0,0625 mm e menor do que 2 mm.

ARQUEANO: Éon da escala de tempo geológico compreendido entre 3.900 e 2.500 milhões de anos atrás.

ARQUEOLÓGICO: Materiais das culturas dos povos pré-históricos ou históricos.

ARSÊNIO: Elemento químico, semi-metal, com características tóxicas e presente no mineral arsenopirita que se encontra comumente associado ao ouro.

B

BACIA HIDROGRÁFICA: Área geográfica de influência de um determinado curso d´agua, determinada por divisores topográficos e pelo exultório.

BANDAMENTO: Estrutura tabular das rochas dada pela alternância de composição, coloração ou granulometria, podendo se apresentar em rochas ígneas e metamórficas.

BÁSICA: São as rochas de origem ígnea, com teores de sílica (SiO2) entre 45-52%, ricas em Fe, Mg, e Ca. Ex: basalto (rocha vulcânica).

BAUXITA: Laterita com alto teor de alumínio, apresentando óxidos e hidróxidos de Fe e Al em sua composição.

BICAME: Estrutura utilizada para transporte e água. Aqueduto (sin.).

BIOHERMA: Estrutura recifal, em montículos, lentes ou dômica desenvolvida “in situ” por organismos como corais, algas, moluscos, gastrópodes ou espongiários.

BIOMA: Unidade ecológica de clima, vegetação e fauna característicos da área.

C

CALCÁRIA: Diz-se da composição de rocha sedimentar carbonatada.

CAMPOS RUPESTRES: Forma de vegetação que se desenvolve em substrato rochoso, geralmente associadas a altitudes superiores à 1.500m.

CANGA: Camada superficial de componentes lateríticos, principalmente limonita (hidróxido de Fe), residuais, formando uma cobertura química e fisicamente resistente aos processos intempéricos e erosivos.

CARBONATO: Qualquer sal do ácido carbônico.

CENOZÓICO(A): Era geológica que compreende o intervalo de tempo que vai de 65 milhões de anos até o presente, estando constituída por dois períodos geológicos conhecidos por paleógeno e neógeno.

CERRADO: Vegetação xerófila dos planaltos, com alguma cobertura herbácea.

CILIAR: Diz respeito à vegetação de porte arbóreo que se desenvolve às margens dos corpos hídricos.

CISALHAMENTO: Deformação por forças que atuam em partes contíguas, fazendo-as deslizar, uma em relação à outra, paralelamente ao plano de contato entre elas.

CLASTOSUPORTADO: Rocha sedimentar constituída por seixos, os quais estão em contato, sendo a porção entre estes preenchida por areia.

COLÚVIO: Solo de vertentes de muito pequeno transporte, misturado com fragmentos de rocha.

COMPLEXO (BAÇÃO): Termo utilizado em mapeamentos regionais para designar e cartografar uma associação de rochas de diferentes classes e cujo relacionamento estrutural e estratigráfico ainda não está definido por completo.

CONGLOMERADO: Rocha sedimentar clástica, cimentada e constituída por fragmentos de rocha com diâmetros maiores que 2mm com matriz variando da granulometria areia fina a argila.



D

DACÍTICO(A): Diz-se da característica da rocha Dacito.

DACITO: Rocha vulcânica ácida de cores cinza médio até escuro, equivalente extrusiva ao tonalito, com mais de 66% de SiO2, plagioclásio oligoclásico a andesina predominante nos feldspatos, frequentemente porfirítica com feldspato e/ou piroxênio/anfibólio associados como fenocristais e na matriz.

DENDRÍTICO: Morfologia fluvial caracterizada pela intensa ramificação e presença de afluentes e subafluentes, assemelhando-se assim, a galhos da copa de uma árvore quando vistos em mapa.

DEXTRAL: (Ing.) Refere-se à movimentação horizontal de blocos separados por falha, quando o bloco do lado oposto à falha, movimenta-se para a direita.

DIQUES: Intrusão ígnea tabular que corta as rochas encaixantes.

DISSOLUÇÃO: Intemperismo químico no qual se tem dispersão das moléculas de um sólido em íons na fase líquida.

DIVISOR DE ÁGUAS: São linhas separadoras das águas pluviais, formando assim fronteiras que separam bacias de drenagem limites. Ex: Topografia (cumes).

DOBRAMENTO: Processo de deformação que ocorre nas rochas quando submetidas a esforços compressivos ou a processos de fluxo (comportamento plástico das rochas em certas condições de P e T).

DOLINAS: Estrutura circular característica de formações cársticas, onde ocorre um grande rebaixamento no solo local pela dissolução da rocha subjacente

DOLOMÍTO: Rocha carbonatada com Mg, tendo como constituinte principal a dolomita [CaMg(C03)2].




E

ECOSSISTEMA: Unidade básica da ecologia, sendo uma região definida com atuação biótica e abiótica de tal forma que um afluxo de energia leve a uma estrutura trófica definida, reciclagem e troca de materiais entre os componentes vivos.

EFLUENTES: Produtos líquidos e/ou gasosos resultantes de atividades industriais, domésticas e urbanas que são emitidos no meio ambiente.

ENTORNO: Área de influência de determinada atividade.

EPICLÁSTICO: Fragmento produzido por intemperismo e erosão de rochas vulcânicas.

ESPELEOLÓGICO: Relativo ao estudo de cavernas.

ESPELEOTEMAS: Formações minerais características em cavernas, sendo mais conhecidas as estalactites (formadas a partir do teto) e estalagmites (formadas no chão).

ESTALACTITES: São espeleotemas que tem sua deposição a partir do teto da caverna.

ESTALAGMITES: São espeleotemas que tem sua deposição a partir do chão da caverna.

ESTEATITO: Rocha metamórfica composta essencialmente por talco, ao qual podem se agregar magnesita e quartzo.

ESTRATIFICAÇÃO: Estrutura típica de rochas sedimentares, originadas pela acumulação progressiva de qualquer material tendendo a formar camadas definidas por descontinuidades físicas e/ou por passagens bruscas ou transicionais de mudanças de textura, estrutura ou quimismo.

ESTRATIFICAÇÃO CRUZADA: Estratificação cujas camadas aparecem inclinadas umas em relação às outras, e em relação ao seu plano basal de sedimentação. São comuns em depósitos eólicos (dunas) e fluviais.

ESTRATIGRAFIA: Estudo da gênese, da sucessão, no tempo e no espaço, e da representatividade areal e vertical das camadas e sequências de rochas de uma região, buscando-se determinar os eventos, processos e ambientes geológicos associados, o que inclui, entre outros, a determinação de fases de erosão ou de ausências de deposição (superfícies de discordâncias).

ESTROMATÓLITOS: São estruturas biohermas decimétricas a métricas, carbonáticas, com formas geralmente colunares, finamente laminadas, construídas por ação de bactérias em mares rasos e quentes.

ESTRUTURAS PRIMÁRIAS: São estruturas originadas no processo de formação de rochas ígneas e/ou sedimentares. Ex: Marca de onda, estratificação.

EXTENSIONAL: Movimento no qual ocorre o ato de se distender, ampliar.

EXULTÓRIO: Ponto mais baixo de uma Bacia Hidrográfica no qual se tem a descarga de vazão de saída.




F

FÁCIES: Características da rocha que evidenciam suas condições de formação.

FALHA: Superfície ou zona de rocha fraturada, ao longo da qual houve deslocamento entre as partes contíguas, que pode variar de alguns centímetros a quilômetros.

FALHAMENTOS: Sistema de falhas.

FALHA DE EMPURRÃO (OU COMPRESSIONAL): Tipo de falha que se desenvolve por esforços compressivos em uma dada região, sendo também denominada falha compressional.

FELDSPATO: Mineral constituinte de grande parte da crosta continental, é uma família de aluminossilicatos apresentando principalmente em sua composição potássio (K-feldspatos), sódio e cálcio (plagioclásio).

FÉLSICO(A): Este termo se aplica a minerais silicatados, magmas e rochas que apresentam elementos leves como o silício oxigênio, alumínio, sódio e potássio em sua composição, conferindo uma coloração clara à rocha.

FERROLIGAS: Ligas especiais a partir de ferro, níquel e cromo, entre outros elementos, com propriedades superiores às dos aços comuns em suportar solicitações mecânicas e corrosivas extremas.

FILITO: Rocha metamórfica originada por metamorfismo e recristalização de material argiloso. Seu aspecto sedoso se deve a presença de minerais micáceos.

FOLIAÇÃO: É uma estrutura penetrativa marcada pela orientação planar preferencial de minerais.

FORMAÇÃO: É a principal unidade de classificação litoestratigráfica, determinada por critérios litológicos e representável na escala de mapeamento adotada

FORMAÇÃO FERRÍFERA: São camadas ferríferas apresentando camadas de óxidos, carbonatos ou silicatos de ferro ritmicamente alternadas com camadas diferenciadas destas. No Quadrilátero Ferrífero ocorrem nos itabiritos neo-arqueanos e paleo-proterozóicos.

FUNDENTE: Substância utilizada em processos metalúrgicos, seja facilitando processos de soldadura ou retirando as impurezas existentes no metal em alto-fornos.

FUNDIÇÃO: Atividade que consiste na fusão de materiais, que quando liquefeitos são escoados a moldes visando dar forma requerida a estes materiais.




G

GEOCIENTÍFICO: Ciência que se relaciona com o entendimento do planeta Terra e os processos que definem as formas e composições atuais.

GEOMORFOLÓGICO: Relacionado às formas de relevos.

GEOPARQUE: Segundo a definição da UNESCO: "um território de limites bem definidos com uma área suficientemente grande para servir de apoio ao desenvolvimento sócio-econômico local. Deve abranger um determinado número de sítios geológicos de relevo ou um mosaico de entidades geológicas de especial importância científica, raridade e beleza, que seja representativa de uma região e da sua história geológica, eventos e processos. Poderá possuir não só significado geológico, mas também ao nível da ecologia, arqueologia, história e cultura."

GNAISSE: Rocha metamórfica muito comum no embasamento cristalino brasileiro, caracteriza-se pela presença de minerais como quartzo, feldspato, micas e anfibólio. Sua estrutura é variável apresentando bandamentos.

GRANITO: Rocha magmática plutônica, de granulação grossa, cristalizada em profundidade, composição ácida (SiO2>66%) e apresentando, essencialmente, minerais claros como quartzo, feldspato alcalino e plagioclásio.

GRANODECRESCÊNCIA: Diz-se da variação granulométrica do sedimento mais grosseiro para o mais fino, observado em rochas sedimentares ou metassedimentares.

GRANODIORITO: Rocha magmática plutônica, granular, composição ácida (SiO2 > 66%) e apresentando plagioclásio, feldspato alcalino e em menor quantidade quartzo.

GRANULAÇÃO: Aspecto da textura de uma rocha relacionado ao tamanho de seus constituintes minerais.

GRANULOMETRIA BIMODAL: Rocha que apresenta constituintes minerais predominando em dois níveis granulométricos.

GRAUVACA: Sedimento arenoso, formado principalmente de detritos de rochas pouco decompostas.

GREENSTONE BELT: Cinturão de rochas verdes representadas por xistos máficos e ultramáficos, intercalados com formação ferrífera bandada, chert e rochas vulcanoquímicas diversas, de baixo grau metamórfico, muito comuns em áreas arqueanas, representando em grande parte restos de crosta oceânica constituída por magmatismo, muitas vezes komatiítico.

GRUPO: Unidade formal de categoria imediatamente superior à formação. O grupo deve ser formado por duas ou mais formações. As formações que compõem um grupo não necessitam ser as mesmas em toda a sua área de ocorrência.



H

HABITAT: Ambiente ecológico característico, habitado, onde vive normalmente a espécie ou o grupo de seres vivos que estão sendo estudados.

HEMATITA: Mineral óxido de ferro de composição Fe2O3, apresenta coloração variando de castanho-avermelhado a preto.

HERBÁCEO: Diz-se de planta que tem a consistência e o porte de erva.

HOMOCLINAL: Seqüência ou pacote de rochas estratificadas mostrando o mesmo sentido de mergulho.


I

INTEMPERISMO: Processos físicos, químicos e biológicos que alteram de alguma forma a estrutura original das rochas.

INTENDÊNCIA: Autoridade Real, criada pela Coroa Portuguesa, em 1702, com o objetivo de administrar a atividade mineradora.

ITABIRITO: Rocha bandada metamórfica apresentando níveis de hematita intercalado com níveis silicáticos.


K

KOMATIÍTO: Rocha de quimismo magnesiano típica das associações de greenstone belts arqueanos, frequentemente de natureza extrusiva, formando derrames muito fluidos (magma de alta temperatura) com texturas muito típicas, notadamente a spinifex.




L

LÁPIDE: Pedra com inscrição para comemorar qualquer acontecimento.

LATERÍTICO: Diz-se do solo fortemente lixiviado por intemperismo químico, que se desenvolve em climas tropicais a temperados úmidos, pobre em nutrientes e com alta concentração residual de hidróxidos de Fe e Al.

LAVA: Massa magmática em estado parcial ou total de fusão, que atinge a superfície terrestre através de vulcões ou fraturas na superfície terrestre e, se derrama em forma de rios ou lagos.

LAVRA: Qualquer jazida mineral em processo de exploração mineral.

LENÇOL FREÁTICO: Superfície que delimita a zona de saturação da zona de aeração, abaixo da qual a água subterrânea preenche todos os espaços porosos e permeáveis das rochas e/ou solos.

LINEAÇÃO MINERAL: Estrutura metamórfica que se caracteriza por apresentar orientação preferencial, segundo “linhas” paralelas, por determinados minerais constituintes das rochas.

LITOESTRATIGRAFIA: Estudo baseado nas camadas de rochas em determinada área, com o objetivo de se entender os eventos, processos e ambientes geológicos, fases de erosão e deposição.

LITOFÁCIES: São unidades litológicas que caracterizam o ambiente de formação e aspectos composicionais das rochas.

LITOLOGIA: É o estudo da origem e natureza das rochas.

LITOLÓGICO: Que diz respeito à litologia.

LITÓTIPO: Caracterização de um tipo de rocha considerado qualquer aspecto genético, composicional, químico, mineralógico, morfológico, estrutural ou textural, distintivo para fins de referência em um estudo geológico.




M

MAGNESITA: Mineral carbonato de magnésio (MgCO3).

MANANCIAL: Zonas de vegetação nas quais ocorrem nascentes, podendo ser também águas superficiais e subterrâneas próprias para consumo humano.

MARCA DE ONDA: Ondulações originadas por águas correntes, ventos e ondas produzidas nas camadas sedimentares superficiais.

MARGA: Argila apresentando calcário ou um calcário argiloso.

MATA ATLÂNTICA: Ecossistema característico das proximidades do litoral brasileiro do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte.

MATACÃO: Fragmento de rocha de diâmetro maior do que 25cm apresentando varias vezes formas esferoidais.

MATRIZ: Minerais de granulação fina que encontram-se preenchendo os espaços entre os minerais de granulação mais grossa.

METACHERT: São as rochas Chert (sedimentares químicas ou biolíticas) metamorfizadas.

METACONGLOMERADO: São os conglomerados (rochas sedimentares clásticas) metamorfizados.

METAKOMATIITO: São os komatiitos (rochas de quimismo magnesiano) metamorfizados.

METARENITOS: São os arenitos (rochas sedimentares clásticas) metamorfizados.

METARGILITOS: São os argilitos (rochas sedimentares clásticas) metamorfizados.

METASSEDIMENTAR: Rochas sedimentares metamorfizadas.

METASSILTITOS: São os siltitos (rochas sedimentares clásticas) metamorfizadas.

METASSOMATISMO: Substituição de um mineral ou rocha por um mineral de composição química diferente.

METAVULCÂNICO: Rochas de origem vulcânica metamorfizadas.

MICROCLIMA: Climas característicos a certo local, podendo estar relacionado á sua geomorfologia, vegetação, entre outros.

MIGMATITO: Gnaisse com veios de materiais ígneos, quartzo-feldspáticos.

MUSCOVITA: Mineral de hidrossilicato de alumínio e potássio, pertencente ao grupo das micas.




N

NEOGÊNICO: Diz-se ao que se originou no período geológico denominado Neogeno, da era Cenozóica que se estendeu de 23,5 a 1,75 milhões de anos.


O

OROGRÁFICO: Relativo à descrição das montanhas.

ÓXIDO: Composto binário de oxigênio e outro elemento.




P

PALEÓGENO: Período geológico mais antigo da era cenozóica que se estendeu de 65 a 23,5 milhões de anos.

PALEOPROTEROZÓICO: Era do éon proterozóico com intervalo de tempo compreendido entre 1,6 GA e 2,5 bilhões de anos.

PARQUE ESTADUAL: É uma unidade de conservação de proteção integral, sob a responsabilidade de órgão ambiental estadual, destinada à preservação de áreas naturais com características de grande relevância ecológica, científica, cultural, educacional, recreativa e beleza cênica.

PERIDOTÍTICO: Relativo ao peridotito.

PERIDOTITO: Rocha ígnea plutônica, granulação grossa, composição ultrabásica (SiO2 <45%), constituída por olivina, anfibólio, piroxênio e feldspatóide.

PLUTÔNICA: Relativo às rochas ígneas de formação profunda.

POLIMÍTICO: Termo que descreve uma rocha detrítica constituída de diversos minerais.

PORFIRÍTICA: Textura de rocha ígnea com cristais significativamente maiores (fenocristais) do que os da matriz mais fina ou mesmo vítrea.

POROSIDADE EFICAZ: É a relação entre os volumes total e o de água gravítica, em meio saturado, ou seja, é o espaço poroso onde ocorre o movimento da água subterrânea.

POROSIDADE TOTAL: É o parâmetro físico que mede a relação entre os volumes de poros e o volume total de um corpo sólido.

PRÉ-CAMBRIANO: Termo referente aos éons mais antigos, Arqueano e Proterozóico, correspondendo ao período desde 4,5 bilhões a 540 milhões de anos.

PROTEROZÓICO: Éon da escala de tempo geológico compreendido entre 2,5 bilhões de anos e 540 milhões de anos.




Q

QUARTZITO: Rocha metamórfica cujo componente principal é o quartzo.

QUARTZO XISTO: Rocha metamórfica bandada com predominância de quartzo entre os seus constituintes minerais.


R

RESÍDUOS SÓLIDOS: Termo técnico que designa todo e qualquer tipo de lixo sólido produzido pelo homem.

RETRABALHAMENTO: Processo em que um determinado evento geológico confere à rocha pré-existente uma nova característica.

RPPN: Abreviatura de Reserva Particular do Patrimônio Natural

RUPESTRES: Diz-se do que é gravado ou traçado na rocha.




S

SAPROLITO: Material intemperizado do qual procede a formação do solo.

SEIXOS: Fragmento de rocha ou mineral de diâmetro maior que 4mm e menor do que 64 mm de acordo com a escala de Wentworth.

SERICITA: Mineral do grupo das micas.

SERPENTINITO: Rocha ultramáfica composta por minerais do grupo das serpentinas.

SILICOSOS: Diz-se rocha enriquecida em sílica.

SINCLINAL: Estrutura dobrada onde as camadas litoestratigráficas mais recentes estão no núcleo.

SINFORMES: Morfologia na qual a dobra se fecha para baixo, independente da estratigrafia local.

SINTERIZAÇÃO: Processo siderúrgico em que duas ou mais partículas sólidas se aglutinam pelo efeito de altas temperaturas, sem que se atinja o ponto de fusão.

SÍTIO: Local ocupado por um determinado corpo.

SPINIFEX: Textura de rocha ígnea, semelhante aos komatiitos.

SUPERGRUPO: Associação de grupos (unidade formal de categoria imediatamente superior à formação) com características litoestratigráficas interrelacionáveis.




T

TECTÔNICO: Qualquer processo geológico em que se tem movimentação ou deslocamento de massas rochosas, construindo ou reorganizando a estrutura terrestre, devido a tensões crustais.

TONALITO: Rocha ígnea plutônica, de composição ácida (SiO2 > 66%), rica em quartzo, plagioclásio, biotita ou anfibólio.

TRANSCORRENTE: Diz-se do movimento horizontal, para a direita ou para a esquerda, entre dois blocos rochosos.

TURMALINITO: Rocha rica em turmalina (mineral borossilicato).


U

ULTRAMÁFICA: Rochas compostas por minerais ferromagnesianos de coloração escura.

UNIDADE GEOLÓGICA: Área com limites definidos, hierarquizada segundo critérios e com características geológicas específicas.

UNIDADE DE CONSERVAÇÃO: Áreas delimitadas com o objetivo de proteger bens ambientais locais, sob regimes especiais de administração.




V

VAZÃO: Unidade que define o volume de água escoada por unidade de tempo.

VERGÊNCIA: Assimetria e sentido das dobras inclinadas.

VOÇOROCAMENTO: Processo erosivo do solo por águas pluviais.

VULCÂNICO: Diz respeito às rochas originadas por atividade vulcânica.

VULCANOCLÁSTICO(A): Fragmentos de minerais e rochas de origem vulcânica.

VULCANOSSEDIMENTAR: Processo geológico com aporte sedimentar de origem vulcânica.


X

XISTO: Nome genérico dado a rochas metamórficas fortemente laminadas.

XISTOSIDADE: Estrutura característica de rochas metamórficas, na qual minerais tabulares ou alongados se arranjam segundo planos paralelos penetrativos.